trabalho

O Centro Social de Ermesinde coloca à disposição da população um serviço com um conjunto diverso de propósitos, que podem apoiar os mais desfavorecidos e contribuir para a sustentabilidade do planeta. Esta resposta é designada “Biblioteca das coisas”, e “parte da ideia que aquilo que já não serve a um cidadão, pode ser útil a outro”, destacam os envolvidos na iniciativa.

Na “Biblioteca das coisas” as pessoas podem deixar bens em bom estado de conservação que já não necessitem, como carrinhos de bebé, brinquedos, ferramentas ou outros equipamentos, que ficarão depois à disposição daqueles que necessitem, a “um custo simbólico”.

Os envolvidos no projeto destacam que a “generalidade das ferramentas e utensílios que a maioria das famílias dispõe só são usados raramente e muitas vezes já nem sequer são usados, enquanto na porta ao lado quando se precisa compra-se um novo produto ou ferramenta que terá, de igual modo, uma utilização diminuta”, pelo que a “Biblioteca das coisas” se revela importante.

Esta biblioteca especial tem assim como propósito “evitar o desperdício e ajudar as famílias a poupar, promovendo a economia da partilha e a reutilização”, destaca a Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto, que apoia esta iniciativa.

Texto: Juliana Batista

Tagged: