A Peregrinação Internacional Aniversária chega ao fim esta quinta-feira, 13 de maio. Na homilia da Missa internacional José Tolentino Mendonça, cardeal e bibliotecário do Vaticano que preside às celebrações de Fátima, pediu para que a pandemia seja o ponto de partida para algo melhor. “Não basta voltarmos exatamente ao que éramos antes. É preciso que nos tornemos melhores. É preciso um suplemento de alma. É preciso que desconfinemos o nosso coração”, apelou.

Perante um mundo que se encontra “fatigado” devido à pandemia, Tolentino Mendonça refere que não existe “apenas” a “sede de normalidade”. O mundo necessita também de “de novas visões, de outras gramáticas, precisa que arrisquemos ter sonhos”. Dirigindo-se aos jovens portugueses, a propósito da realização da Jornada Mundial da Juventude, em Lisboa, em 2023, o bibliotecário do Vaticano pediu-lhes para que tenham a capacidade para sonhar. “Em vez de ter medo, tenham sonhos. Descubram que Deus é aliado dos vossos sonhos mais belos. Ousem sonhar um mundo melhor. Sintam que o futuro depende da qualidade e da consistência dos vossos sonhos”, disse Tolentino Mendonça à população juvenil.

Falando depois aos peregrinos de Fátima, o cardeal demonstrou-lhes a sua proximidade. “Quero dizer-vos que me sinto não apenas próximo de todos, mas verdadeiramente me considero um de vós. A mensagem de Fátima vista de fora parece formatada e austera. E muitos, olhando à superfície o santuário, veem apenas a dramática expressão de tantas lágrimas, demandas e promessas. Mas os peregrinos de Fátima experimentam que é muito mais do que isso. Aquilo que experimentamos é que chegamos aqui inquietos, vazios, divididos, irreconciliados ou sedentos, que chegamos aqui aos trambolhões como o filho pródigo, e que Maria realiza em nós – com que misericórdia, com que inesquecível doçura – o mandato de amor que recebeu de Jesus: ‘Mulher, eis aí o teu filho’, ‘eis aí os teus filhos’”.

Tolentino Mendonça destacou depois o impacto que a deslocação a Fátima pode ter na vida de cada peregrino. “A Fátima, nós peregrinos, chegamos sempre de mãos vazias. Mas de Fátima levamos, acordado dentro de nós, um sonho. Fátima ensina, assim, como se ilumina um mundo que está às escuras. Seja o pequeno mundo do nosso coração, seja o coração do vasto mundo”.

O bibliotecário do Vaticano terminou a sua mensagem aos peregrinos com um agradecimento a Nossa Senhora de Fátima. “Obrigado, Senhora, por fazeres deste lugar uma alavanca da nossa humanidade. Um laboratório sem portas nem muros, sempre aberto para a esperança! Em ti, louvamos o Senhor que nos reergue de todas as fraquezas”, disse o cardeal, indo de encontro ao tema que este ano orienta a vida no Santuário de Fátima – “Louvai o Senhor, que levanta os fracos”. O programa das celebrações estende-se até ao final desta quinta-feira, com diversos momentos de recitação do terço na Capelinha das Aparições.

A oração do rosário prevista para as 17h00 será presidida por António Marto, cardeal e bispo na diocese de Leiria-Fátima, no âmbito de uma maratona de oração pelo fim da pandemia é promovida pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, com o tema “De toda a Igreja subia incessantemente a oração a Deus”. Este momento será transmitido em direto para todo o mundo, através dos media do Vaticano.

Texto: Juliana Batista

Tagged: