Mais de 70 por cento dos alunos nas províncias de Cabo Delgado e Nampula, em Moçambique, “não completam o ensino primário”, sendo que metade são raparigas, alertam os serviços de comunicação da Organização das Nações Unidas (ONU). Com o propósito de reverter esta situação, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), e a Embaixada da Noruega, comprometeram-se a desembolsar fundos humanitários.

Na sessão de assinatura do acordo, Haakon Gram Johannessen, Embaixador do Reino da Noruega, referiu que o “conflito armado em Cabo Delgado desestabilizou a província, aumentou o risco de abuso infantil e do tráfico de seres humanos”. O grupo que deverá beneficiar com os fundos humanitários “conta com um total de 62,4 mil pessoas, das quais aproximadamente 52 por cento são raparigas”.

Maria Luísa Fornara, representante da UNICEF, destaca os efeitos que os fundos poderão gerar. “Os recursos permitirão à UNICEF implementar intervenções com adolescentes vulneráveis, trabalhando através de plataformas comunitárias e enfrentando barreiras sistemáticas que dificultam a aprendizagem e proteção de crianças entre os 13 e 18 anos. Através desta combinação de abordagens, a UNICEF poderá apoiar os esforços do governo de Moçambique para garantir a aprendizagem e proteção de quase 60 mil crianças nas zonas rurais de Cabo Delgado e Nampula”, refere a responsável.

Tagged: