Foto: Lusa

O diretor da organização não governamental Save the Children em Moçambique, Chance Briggs, alerta para a situação de “fome severa” que enfrentam os deslocados de Cabo Delgado, entre os quais se encontram centenas de milhares de crianças. As necessidades dos menores, muitas vezes os principais alvos da violência, “superam em muito os recursos disponíveis”, lamenta o ativista.

Segundo Briggs, “enquanto o mundo estava focado na Covid-19, a crise de Cabo Delgado cresceu e foi menosprezada”. Agora, “a ajuda é desesperadamente necessária, mas poucos doadores priorizaram a assistência para aqueles que perderam tudo e para os seus filhos”, enquanto continua a engrossar o número de deslocados obrigados a fugir das suas casas por causa do conflito armado.

“Todas as partes devem garantir que as crianças nunca sejam alvos. Devem respeitar as leis humanitárias internacionais e de direitos humanos e tomar todas as ações necessárias para minimizar os danos civis, incluindo o fim de ataques indiscriminados e desproporcionais contra crianças. Os relatos de ataques contra crianças incomodam-nos profundamente. A nossa equipa foi levada às lágrimas ao ouvir as histórias de sofrimento contadas por mães em campos de deslocados”, assinala o representante da Save de Children.

Tagged: