O reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, pediu compreensão aos peregrinos para as limitações existentes na última grande peregrinação internacional aniversária, aconselhando-os a visitar a Cova da Iria noutra altura do ano. Numa mensagem divulgada esta quinta-feira, 8 de outubro, o sacerdote apelou ainda aos que eventualmente não consigam entrar no recinto, que que evitem aglomerar-se nas zonas limítrofes do santuário.

“A peregrinação de outubro é, a par da de maio, a mais participada neste Santuário. Este ano, tudo é diferente, por causa da pandemia que nos atinge. Em maio, fizemos uma peregrinação, pela primeira vez, sem peregrinos e, em outubro, apesar de já contarmos com a presença de peregrinos, serão ainda muito poucos”, explicou o reitor, manifestando a sua “mágoa e tristeza” pelo facto do plano de contingência apenas permitir a participação nas celebrações de um máximo de 6.000 pessoas.

Tendo em conta as restrições, Carlos Cabecinhas convida os fiéis, especialmente os de zonas mais distantes, a acompanharem as celebrações pelos meios de comunicação social, fazendo a peregrinação pelo coração: “Pedimos aos peregrinos que habitualmente vêm de mais longe que não corram o risco de vir a Fátima (nestes dias), podendo não conseguir entrar no recinto do santuário. Pedimos que se associem a nós, que façam a peregrinação pelo coração, através dos meios virtuais, que o santuário disponibiliza diariamente. Podereis sempre vir ao santuário, nomeadamente nos sábados e domingos depois do 12 e 13 de outubro, e fazer a experiência da procissão das velas, nos sábados e, ao domingo, no fim da Missa, a da procissão do adeus”.

GNR atenta às concentrações

Entretanto, a GNR anunciou esta quinta-feira que está a preparar um dispositivo de segurança para as celebrações religiosas em Fátima, que irá permanecer no terreno entre 11 e 13 de outubro, para garantir o cumprimento das normas sanitárias prevista no plano de contingência delineado pelo Santuário de Fátima e aprovado pela Direção-Geral de Saúde (DGS).

Os militares irão condicionar o acesso ao parques de estacionamento da Cova da Iria de acordo com a lotação máxima permitida no interior do recinto de oração – que é de 6.000 pessoas -, e fazer o controlo nas imediações do santuário para impedir a aglomeração de peregrinos.

Para que as celebrações decorram de acordo com as regras estabelecidas ao abrigo da declaração de Situação de Contingência, segundo as orientações da DGS, a GNR apelou à consciência dos cidadãos para a importância do cumprimento das regras e das indicações das autoridades.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *