Mais de 5.000 refugiados da República Democrática do Congo entraram em Mantapala, na Zâmbia, nos últimos cinco anos. Fugiram da violência e dos confrontos interétnicos, tendo sido distribuídos por 11 aldeias.

A Cáritas da Zâmbia desenvolveu um projeto de agricultura sustentável, de recuperação das aldeias e de atividades capazes de proporcionar-lhes um rendimento seguro, para os integrar na sociedade e dar-lhes condições de vida sólidas. Eugene N’gandu, diretor da Cáritas, esclarece que o projeto está orientado para a criação de meios de subsistência sustentáveis e soluções duradoiras, sobretudo para jovens refugiados dos 17 aos 23 anos.

Simultaneamente, são realizadas ações de formação destinadas a sensibilizar para a justiça e paz, assim como para o cuidado do ambiente, para enfrentar situações de conflitos e de mudanças climáticas.

Texto: Elísio Assunção

Tagged: