O projeto “Storytellers” vai partir para a sua terceira edição, permitindo que jovens oriundos de países em conflito, “tenham acesso a atividades físicas e desportivas”, explicam os serviços de comunicação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, organismo envolvido nesta ação. Assim como nas anteriores edições, o projeto deverá prolongar-se ao longo de um ano, contribuindo para a “integração de 60 jovens refugiados em contexto de prática desportiva”.

Para que esta iniciativa se torne numa realidade, no início deste mês, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa renovou a sua parceria com o Ginásio Clube Português, espaço onde os jovens refugiados poderão dedicar-se à prática desportiva. Nas suas edições anteriores, o projeto “Storytellers”, dirigido aos acompanhados pela Equipa de Integração Comunitária da Santa Casa, foi premiado pelo Programa Nacional Desporto para Todos do Instituto Português do Desporto e Juventude.

António Santinha, diretor da Unidade de Apoio à Autonomização da Misericórdia de Lisboa, acredita que o projeto vai permitir “que estes jovens, que advêm de contextos socioculturais bastante complicados possam, para além dos benefícios inerentes à prática desportiva, igualmente ter benefícios na construção de redes informais de apoio”. Em comunicado, o responsável destaca que o desporto é uma das “principais ferramentas para a inclusão destes jovens na comunidade”, sublinhando que este projeto é o “exemplo perfeito do desporto como mecanismo de integração”.

Tagged: