“Say yes”: aprender a dizer “sim”. Este é o nome do projeto de catequese com adolescentes iniciado em setembro de 2019, no qual participam mais de 40 mil jovens de todo o país. Percorrendo as diversas edições da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), este projeto tem um duplo objetivo: contribuir para a renovação da catequese com adolescentes em Portugal, propondo uma pedagogia de tipo projetual e um maior protagonismo dos adolescentes; apresentar as Jornadas Mundiais da Juventude como um itinerário formativo, baseado numa metodologia de discernimento espiritual da realidade (reconhecer, interpretar, escolher, festejar) em vista da preparação e vivência da JMJ Lisboa 2023.

O Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa pretende com este projeto contribuir para o esforço conjunto de repensar a catequese com adolescentes na receção do recente Sínodo sobre os jovens, a fé e o discernimento vocacional, particularmente da exortação apostólica “Christus vivit”.

O projeto “Say yes” pretende envolver os catequistas e os adolescentes num processo sinodal de reflexão conjunta sobre o caminho efetuado na catequese. De um modo global, os catequistas agradecem e valorizam a importância deste projeto, pelo facto de permitir uma maior inter-relação entre catequistas e os catequizandos, entre a catequese, comunidade cristã e a sociedade em geral. Sentem os catequizandos mais entusiasmados com a catequese e mais responsáveis pelo seu próprio caminho de fé. Os projetos de serviço e de missão desenvolvidos pelos diversos grupos de catequese são prova disso. Depois de uma tomada de consciência da sua situação de vida e de uma análise da realidade atual (reconhecer), os adolescentes, através da meditação da Palavra de Deus e da sua interiorização na oração (interpretar), revelam disponibilidade para fazer escolhas em prol dos outros (escolher) e de as celebrar (festejar).

São os próprios adolescentes que testemunham, na primeira pessoa, que o “Say yes” apresenta uma proposta catequética muito diferente do que era habitual: valoriza alguns elementos próprios da linguagem digital; estabelece uma ampla relação com os problemas da atualidade; fomenta um melhor conhecimento de si mesmo e uma interação entre os membros do grupo; apela a uma maior criatividade e responsabilidade na dinamização de projetos de serviço.

Este primeiro ano do projeto revelou a necessidade de garantir mais tempo à dinâmica dos projetos de serviço e de missão realizados pelos adolescentes, pelo que as circunstâncias do adiamento da JMJ Lisboa permite fazê-lo alargando o “Say yes” por mais um ano. Os próprios desafios apresentados pelo período de confinamento provocado pela Covid-19 manifestaram uma criatividade que permitiu não só o encontro dos adolescentes com os catequistas e a continuidade da catequese, como a sua reflexão sobre a situação atual à luz dos desafios de uma ecologia integral. Este último tema exige um maior empenho na formação dos adolescentes de modo a que se descubram como “o agora de Deus e testemunhas da esperança de amanhã”. Oxalá que possamos fazer por esta geração JMJ portuguesa o que nos é devido.

Tiago Neto | Texto conjunto MissãoPress

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *