Foto: EMARP

Com o objetivo de contribuir para a “formação de cidadãos responsáveis”, foi inaugurada a exposição “28 de fevereiro de 1969 – Memórias do sismo”. A mostra tem também como propósito “lembrar o passado, para compreender o presente e preparar o futuro”, explicam os promotores da iniciativa.

A exposição encontra-se patente na Empresa Municipal de Águas e Resíduos de Portimão (EMARP), onde poderá ser conhecida até ao próximo dia 19 de março, depois de ter sido inaugurada no passado dia 15 de fevereiro. A mostra é promovida pela Sociedade Portuguesa de Engenharia Sísmica (SPES) e pelo Centro Europeu de Riscos Urbanos (CERU).

A iniciativa tem como propósito preservar a memória coletiva sobre um forte sismo que abalou Portugal Continental, a 28 de fevereiro de 1969, e que causou “estragos acentuados, sobretudo no Algarve, e mais de uma dezena de vítimas, muitas delas por comoção”, refere a EMARP, em comunicado.

A empresa municipal do sul do país refere que o conhecimento sobre o planeta mostra que estas catástrofes “irão com certeza ocorrer no futuro”, pelo que “é nosso dever e obrigação estar preparados e preparar as novas gerações para o que pode acontecer a qualquer momento”. A exposição pode ser conhecida todos os dias úteis, das 08h30 às 17h30, no local de atendimento do edifício sede da EMARP, em Portimão.

Tagged: