Foto: DR

O tanzaniano Delphinus Kalatunga, missionário da Consolata, fez a sua profissão perpétua no último domingo, 24 de julho. A celebração foi presidida por Michelangelo Piovano, vice-superior da Região Europa dos Missionários da Consolata, e teve lugar na capela da comunidade da congregação religiosa em Águas Santas, no município da Maia.

Em declarações à FÁTIMA MISSIONÁRIA, Delphinus explicou como se sente após a concretização desta etapa da sua vida. “Sinto-me muito bem. Sinto que a minha profissão perpétua é um passo enorme no caminho para o sacerdócio. Esta etapa exige de mim que seja mais fiel a Deus através da minha entrega à missão ‘Ad gentes’ que é o nosso carisma”, disse o missionário, contando depois como viveu a cerimónia da sua profissão perpétua.

“Vivi toda a celebração com muita alegria. Agradeço imenso à minha comunidade de Águas Santas, por ter preparado bem este dia que foi muito marcante na minha vida. A cerimónia correu muito bem, seja na parte da celebração da santa Eucaristia como depois no momento de convívio com os confrades, em espírito de família”, recorda.

O tanzaniano apela para que os cristãos possam “continuar a rezar uns por os outros”, e destaca a importância que a oração pode assumir na vida de cada um. “Acho que a oração é a única maneira que nos ajuda sempre a viver em comunhão com o Senhor da nossa vida, que nos convida a todos a viver uma vida santa, como se afirma no livro do Levítico – ‘Sede santos porque Eu sou santo’”.

Texto: Juliana Batista

Tagged: