Foto: HELPO ONGD

Com o objetivo de ajudar as vítimas do ciclone Gombe, que afetou a Ilha de Moçambique, procedeu-se à entrega de kits de emergência, constituídos por bens alimentares e vestuário. Os bens foram entregues a “117 camponesas e 25 mulheres ativistas”, inseridas no projeto “1000 dias de boa alimentação”, refere a Helpo, uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) portuguesa, presente naquele país africano.

O ciclone Gombe afetou o norte e centro de Moçambique no passado mês de março, causando “mais de 60 mortos”. Além disso, “danificou mais de 150 mil habitações e deixou milhares de vidas por reconstruir”, recorda o organismo humanitário português, que destaca a importância desta oferta. “Estes kits são uma grande ajuda para quem perdeu tanto do pouco que tem e permitem que se dê continuidade” ao projeto “1000 dias de boa alimentação”, desenvolvido pela Helpo na Ilha de Moçambique, “uma das principais regiões afetadas” pelo ciclone Gombe.

O projeto “1000 dias de boa alimentação” tem como mote “De mãos dadas entre a agricultura e a nutrição, pelas grávidas e crianças do distrito da Ilha de Moçambique”. Através desta iniciativa, a organização portuguesa pretende “melhorar o estado nutricional das grávidas, lactantes e crianças durante os primeiros 1000 dias de vida, através da produção dos alimentos locais e da sua disponibilidade anual utilizando técnicas de conservação, transformação e armazenamento, com medidas de combate à pandemia da covid-19”.

Tagged: