é vital “acabar com as mensagens catastrofistas” do suposto impacto negativo da imigração na sociedade espanhola
é vital “acabar com as mensagens catastrofistas” do suposto impacto negativo da imigração na sociedade espanholaSão necessários dois milhões de imigrantes para trabalhar em Espanha, até ao ano 2020, revela um estudo da Fundação Empresa e Sociedade. Seriam 57 mil novos imigrantes por ano, nos próximos 12 anos, para responder às necessidades do mercado laboral, ainda que haja desaceleração económica.
O estudo considera que os actuais 4. 4 milhões de estrangeiros a viver em Espanha não são suficientes, a médio prazo, para responder à oferta do mercado laboral, perante uma tendência de redução da força laboral espanhola, adianta a Lusa. Já em 2005, os imigrantes ocuparam mais de 50 por cento dos novos empregos, salienta Francisco abad, director da Fundação Empresa e Sociedade (que desde 1985 se dedica a promover a integração de pessoas desfavorecidas nas empresas).
Os responsáveis pelo estudo defendem uma nova lei da imigração que regule melhor este fenómeno e que estimule a ida de talentos de outros países. ao mesmo tempo os imigrantes qualificados a residir em Espanha mas que não trabalham nas suas áreas de especialização deveriam ser penalizados.
Mas é, também, necessário, que se desenvolva um discurso construtivo e mensagens positivas sobre o tema, reconhecendo a contribuição económica dos imigrantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *