Guerra entre forças governamentais e rebeldes e banditismo obrigou à fuga de milhares. Que não têm acesso a água pura
Guerra entre forças governamentais e rebeldes e banditismo obrigou à fuga de milhares. Que não têm acesso a água puraPelo menos um milhão de cidadãos de centro-africanos não tem acesso a água potável e, por isso, está altamente vulnerável à ameaça de doenças mortais com origem aquática. O conflito que dilacera o país é o principal motivo desta crise, relatam agências humanitárias das Nações Unidas.
O Gabinete para a Coordenação dos assuntos Humanitários (OCHa, na sigla inglesa) disse que a situação é pior no Nordeste da República Centro-africana, onde combates entre forças do Governo e rebeldes, juntamente com ataques de bandidos locais, têm forçado milhares de pessoas a procurarem refúgio nas florestas vizinhas, fora das suas aldeias.
a insegurança é tão generalizada em todo o norte do país que muitos habitantes têm tanto medo em regressar às suas aldeias, que acabam por recorrer a lagos estagnados ou rios no mato para abastecimento de água. Os que permaneceram nas suas aldeias enfrentam o perigo de poços que não funcionam mal ou não dão qualquer água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *