a falta de saneamento e as fontes de água poluí­das estão a atingir níveis críticos no Iraque, causando doenças em crianças e acrescidas provações, adianta a UNICEF e a Organização Mundial de Saúde
a falta de saneamento e as fontes de água poluí­das estão a atingir níveis críticos no Iraque, causando doenças em crianças e acrescidas provações, adianta a UNICEF e a Organização Mundial de Saúdeapenas 17 por cento dos esgotos do Iraque são tratados antes de serem descarregados nos rios e cursos de água do país. as águas residuais da cidade de Bagdade enchem 370 piscinas olímpicas por dia, adiantam as organizações. Isto além dos esgotos a céu aberto.
a falta de higiene e a água insalubre são preocupações prioritárias para as famílias iraquianas, afirmou Roger Wright, Representante Especial da UNICEF, agência das Nações Unidas que tem como objectivo promover a defesa dos direitos das crianças, para o Iraque.
Há famílias que estão a utilizar os seus recursos para encontrar água potável. a situação pode piorar no Verão que se avizinha, já que o calor aumenta a pressão sobre as redes de água e saneamento. Os médicos da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertam ainda para um possível ressurgimento da cólera, que afectou mais de 4 700 iraquianos durante um surto que ocorreu no final de 2007.
a UNICEF vai fornecer mais de 300 milhões de litros de água potável às comunidades sem acesso, distribuir kits de água e de higiene a 120 mil famílias em crise e trabalhar com o governo e outras agências para reabilitar as redes de água e saneamento em nove províncias, permitindo abranger 1. 8 milhões de pessoas, adianta em comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *