Filipa GonçAlves, 21 anos, é uma das pascoalinas desta Missão impossível. a jovem estudante de Serviço Social e natural de alcaravela já ansiava ter participado na Páscoa Jovem
Filipa GonçAlves, 21 anos, é uma das pascoalinas desta Missão impossível. a jovem estudante de Serviço Social e natural de alcaravela já ansiava ter participado na Páscoa JovemEi-la, agora perto de casa numa experiência diferente e que espera que lhe traga um novo rumo. a ligação à Consolata começou na sexta-feira santa de 2005, precisamente no ano em que a PJM se realizou na terra natal e ela voltava da viagem de finalistas do 12º ano.
ao desafio da avó, para a oração da manhã e, apesar do sono e cansaço, ela foi. E a partir daí foi química, conta a jovem. Deu um novo sentido à minha vida, confessa a jovem.
Comecei a segui-los, explica. Os missionários trazem-me muita calma e fazem-me ver Jesus de forma diferente. Sucedem-se as idas a Fátima, a encontros de carácter juvenil e a presença do padre Silvanus Stock em vários encontros de jovens, em alcaravela.
O missionário tanzaniano foi alguém que a marcou muito. Daí que o seu sonho de partir em missão para África, depois de acabar o curso seja um sonho a concretizar. Talvez na Tanzânia, uma espécie de troca, ou melhor, de gratidão pela amizade recebida do padre Silvanus.
Na dramatização da ceia pascal, Filipa ficou com uma visão diferente do que se passou na última Ceia. Fui imaginando as pessoas, as vestes e a simplicidade de como o povo pega nas coisas, nos alimentos, comenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *