Os missionários estão ainda “abalados” mas a situação está “muito calma”, disse à Lusa, o padre José Marques
Os missionários estão ainda “abalados” mas a situação está “muito calma”, disse à Lusa, o padre José Marques Constou-me que a polícia está a procura de alguns suspeitos e que as irmãs (freiras) vizinhas foram abordadas pelas autoridades policiais, mas eu não , afirmou.
Os nossos trabalhadores montaram uma segurança para eu dormir tranquilo e vou-me recuperando do abalo , assinalou. Na última sexta-feira, um grupo de assaltantes assassinou o guarda moçambicano Estêvão Nulela e feriu o padre português João GonçAlves, natural da freguesia de Louriçal, distrito de Leiria. ao que tudo indica tentavam furtar os painéis solares da Missão da Boa Nova.
O missionário ainda se encontra internado no Hospital Central de Maputo, para intervenções cirúrgicas. Está a ser acompanhado assiduamente, inclusive um seu irmão disse-me que conseguiu contactá-lo , adiantou José Marques.
a polícia moçambicana deteve dois suspeitos do ataque. O procurador da República, no distrito de Chiúre, admitiu que mais indivíduos poderão estar sob custódia policial em breve, logo que o juiz de instrução criminal legalize a sua prisão . Os elementos que recolhemos no local do crime indiciam a participação de outras pessoas no crime em que morreu o nosso concidadão e foi também atacado o padre (João) GonçAlves , afirmou Nássimo acimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *