Os Estados devem ratificar a convenção para eliminar todas as formas que discriminam as pessoas pela raça. E aplicá-la. Porque o “racismo é trampolim para o extremismo”
Os Estados devem ratificar a convenção para eliminar todas as formas que discriminam as pessoas pela raça. E aplicá-la. Porque o “racismo é trampolim para o extremismo”Todos os estados do mundo devem assinar a Convenção Internacional sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Racial e reforçar a sua aplicação legal, para que as vítimas deste tipo de discriminação possam ter mais justiça, apelou esta quarta-feira a responsável pelos direitos humanos nas Nações Unidas.
Segundo a alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Louise arbour, o racismo está na origem de muitos conflitos . O racismo apresenta riscos para a paz e a segurança internacionais. O racismo é o trampolim para o extremismo e todas as formas de intolerância , insistiu numa conferência em Genebra, realizada um dia antes do Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, que é observado a 21 de Março.
até agora, 173 dos 192 países membros das Nações Unidas ratificaram a convenção, que entrou em vigor em 1969 e foi o primeiro tratado de direitos humanos a ser aprovado pela assembleia Geral da ONU. Mas muitos países que ratificaram o texto apresentaram também reservas formais.
Louise arbour disse ter chegado a hora dos estados, que ainda não ratificaram a convenção, de o fazerem, e dos que mantêm reservas, retirarem-nas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *