Mais uma vez, os cristãos da Guarda não ouvem os sinos da Sé tocar por ocasião do anúncio da aleluia
Mais uma vez, os cristãos da Guarda não ouvem os sinos da Sé tocar por ocasião do anúncio da aleluiaHá já vários anos que os oito sinos não tocam. Uma situação que o cónego Eugénio da Cunha Sério lamenta e que se deve à falta de devida manutenção por parte do organismo do Estado que tutela os Monumentos Nacionais. Com um bocadinho de cuidado ainda eram capazes de se tocar, mas precisavam de uma intervenção , afirmou o director do Secretariado Diocesano de Liturgia.
Nas duas torres (uma com três e outra com cinco sinos, alguns datados do século XVIII) existem sinos partidos, sem badalo e com as estruturas de madeira já podres, apresentando um estado avançado de degradação.
Se eles [IGESPaR – fusão do Instituto Português do Património arquitectónico (IPPaR) e do Instituto Português de arqueologia (IPa) e da incorporação de parte das atribuições da extinta Direcção-Geral dos urbanística e Monumentos Nacionais (DGEMN)] ajudassem com alguma coisa, a paróquia ainda podia pensar no assunto, assim, não é possível, porque nós cada vez temos menos verbas , afirmou o pároco da Sé. Que o novo organismo que agora tutela este monumento, num diálogo franco com a paróquia, veja quais são os problemas da Catedral e procure resolvê-los em conjunto, o mais rápido possível , espera antónio Moiteiro.
O director Regional da Cultura do Centro, Pedro Pita, contactado pela Lusa, adiantou que os sinos estão inoperacionais e a necessitar de restauro. Foi feita uma candidatura que previa, além do restauro dos sinos da Catedral e sua electrificação, a recuperação do órgão de tubos, num investimento total de 540 mil euros. O projecto tem que aguardar a possibilidade de vir a ser financiado no âmbito do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) , adianta a Direcção Regional da Cultura do Centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *