O governo português pediu às autoridades moçambicanas “protecção acrescida” para a missão católica assaltada
O governo português pediu às autoridades moçambicanas “protecção acrescida” para a missão católica assaltada O pedido às autoridades moçambicanas foi feito através da Embaixada de Portugal , disse à Lusa, o secretário de Estado das Comunidades. antónio Braga diz haver mais cidadãos portugueses na missão, situada na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.
antónio Braga adiantou que o missionário português, João GonçAlves, gravemente ferido no assalto, já recebeu a visita de pessoal da Embaixada de Portugal em Maputo. Felizmente, está livre de perigo , frisou.
O missionário João GonçAlves, de 78 anos, encontra-se presentemente no Hospital Central de Maputo, devendo ter ainda que ser submetido a intervenções cirúrgicas. Fonte ligada à investigação disse à Lusa que o móbil do assalto foi a tentativa de roubo de painéis solares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *