O presidente da União das Misericórdias portuguesas, considera que é preciso apostar na “pedagogia” para que situações como estas não se voltem a repetir
O presidente da União das Misericórdias portuguesas, considera que é preciso apostar na “pedagogia” para que situações como estas não se voltem a repetirantes de punir é preciso sensibilizar defende Manuel Lemos, sobre o caso dos lares de idosos que rejeitaram integrar doentes com Sida. Estamos com um défice brutal de idosos que precisam de acolhimento, lembra o responsável, citado pela Lusa.
O presidente da União das Misericórdias portuguesas defende que os apoios públicos não devem ser cortados devido a situações pontuais. a União de Misericórdias portuguesas tem vários lares e garante que nunca recebeu qualquer queixa de discriminação por parte de idosos com o vírus da Sida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *