Bento XVI condenou a “espiral de destruição e morte” no Médio Oriente e encorajou israelitas e palestinianos a negociarem a paz, depois de uma semana sangrenta
Bento XVI condenou a “espiral de destruição e morte” no Médio Oriente e encorajou israelitas e palestinianos a negociarem a paz, depois de uma semana sangrenta Nos últimos dias, a violência e o horror voltaram a ensanguentar a Terra Santa, alimentando uma espiral de destruição e de morte que parece não ter fim , disse o Papa, durante o ângelus.
Perante milhares de fiéis, reunidos na Praça de São Pedro, o Pontífice pediu ainda a todos que, em nome de deus, abandonem as tortuosas vias do ódio e da vingança, para seguirem de modo responsável as vias do diálogo e da confiança . aos responsáveis encorajou a continuar mediante as negociações, um futuro pacífico e justo para seus povos.
Na última semana, durante uma ofensiva israelita, na Faixa de Gaza, destinada a pôr fim aos disparos de “rockets” contra o sul de Israel, 120 pessoas foram mortas, entre as quais várias crianças. Na quinta-feira, dois palestinianos armados de armas automáticas atacaram uma escola religiosa judaica de Jerusalém, matando oito adolescentes e ferindo dezenas.
O Santo padre expressou o mesmo desejo de paz para o Iraque, e pediu novamente a libertação do monsenhor Faraj Rahou, arcebispo de Mossul sequestrado a 29 de Fevereiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *