Os emigrantes devem ter um alto-Comissariado para a Emigração, defendeu um dirigente associativo no Luxemburgo
Os emigrantes devem ter um alto-Comissariado para a Emigração, defendeu um dirigente associativo no LuxemburgoCustódio Portássio defendeu que, à semelhança do que já existe para os imigrantes, deveria haver um alto-Comissariado para analisar e defender as questões dos emigrantes. O alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (aCIDI) é o melhor exemplo que temos e é preciso uma estrutura semelhante para a emigração , afirmou o dirigente da associação de amizade Portugal-Luxemburgo, citado pela Lusa.
O responsável considerou essencial que se desenvolvam esforços para a estrutura dependa do Conselho de ministros e não dependa apenas do secretário de Estado das Comunidades. É que alguns projectos como a cultura ou a juventude, que acabam por serem encaminhados para o secretário de Estado das Comunidades, por se tratarem de projectos de portugueses no estrangeiro não têm seguimento, sublinhou Custódio Portássio.
À margem do Colóquio sobre políticas para a juventude, cultura e associativismo nas comunidades portuguesas , que está a decorrer em Lisboa, o responsável referiu que, para cativar os jovens é preciso que as associações promovam projectos curtos e aliciantes .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *