“São uma oportunidade para o diálogo ecuménico e inter-religioso, mas também uma fonte de problemas”, concluí­ram os presidentes das Conferências Episcopais do Sudeste de Europa no seu 8º encontro anual
“São uma oportunidade para o diálogo ecuménico e inter-religioso, mas também uma fonte de problemas”, concluí­ram os presidentes das Conferências Episcopais do Sudeste de Europa no seu 8º encontro anualO comunicado final do encontro, que decorreu em Sófia, Bulgária, reconhece as oportunidades e os riscos dos matrimónios mistos. São uma realidade que se está a difundir cada vez mais em toda a Europa, devido ao fenómeno migratório. De 28 de Fevereiro a 2 de Março, o encontro debruçou-se sobre a preparação dos noivos e o acompanhando dos esposos.
Nos matrimónios entre católicos, ortodoxos e protestantes, embora tendo uma base comum da fé cristã, falta uma mesma visão teológica sobre o matrimónio. Nos matrimónios em que um dos conjugues não é cristão, pode-se chegar à perda da fé, ao indiferentismo religioso.
Outros riscos são imposições que recaem sobre a mulher, ou o isolamento do próprio grupo étnico e a desorientação na educação dos filhos. Segundo os bispos, o remédio encontra-se na preparação dos noivos, mas o acompanhamento dos esposos é deveras decisivo.
Para ajudar os agentes pastorais e as famílias está a ser preparado um guia com orientações para os matrimónios mistos. a aprovação do manual deverá acontecer na próxima sessão de trabalhos que terá lugar na anatólia, Turquia, de 3 a 8 de Março de 2009.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *