Uma réplica do navio espanhol amistad, ligado ao tráfico de escravos, permanece em Cabo Verde uma semana
Uma réplica do navio espanhol amistad, ligado ao tráfico de escravos, permanece em Cabo Verde uma semanaancorado no porto da Praia, pode ser visitado. O navio encontra-se a percorrer os vários portos ligados ao tráfico de escravos. a viagem da Liberdade no atlântico destina-se a assinalar os 200 anos da abolição da escravatura em Inglaterra (25 de Março de 1807) e nos Estados Unidos (02 de Março de 1807).
No porão do navio, que acomodou em 1839 várias dezenas de escravos que haveriam de protagonizar a revolta, é hoje contada a história do navio, com desenhos do porão original e também do porão do Tecora, um navio negreiro português, bem como uma representação desenhada do assassinato do capitão espanhol do amistad.
Tem uma tripulação constituída por pessoas da Serra Leoa, Grã-Bretanha, Estados Unidos, Canadá e Bermudas e capitaneado por uma mulher, o amistad tem também a bordo um descendente directo de Sengbe Pieh, que chefiou a revolta no navio. a réplica do navio espanhol é hoje uma escola de coragem e de amor , afirmou John a. Kamara à Lusa.
a 9 de Março, o navio construído pelos Estados Unidos parte para as ilhas Barbados. O navio partiu do Canadá em Junho do ano passado e já passou por Inglaterra, Lisboa, Serra Leoa e Senegal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *