“Evitar o recurso a leis, como a que pretende combater as actividades extremistas, para reprimir a actividade das organizações civis e órgãos de imprensa”, pede a organização de direitos humanos
“Evitar o recurso a leis, como a que pretende combater as actividades extremistas, para reprimir a actividade das organizações civis e órgãos de imprensa”, pede a organização de direitos humanosao aproximar-se as eleições de 2 de Março, a amnistia Internacional (aI) exigiu às autoridades de Moscovo a tutela da liberdade de expressão, associação e reunião. É necessário garantir aos jornalistas o exercício do próprio dever profissional sem interferências arbitrárias.
Esta liberdade é pedra fundamental de uma sociedade civil e activa. as autoridades russas estão a restringi-la no âmbito da sua estratégia para contrastar a chamada influência ocidental. Deste modo as autoridades violam os deveres nacionais e internacionais, alertou Nicola Duckworth, director do Programa Europa-Ásia Central da aI.
a negação da liberdade de expressão e de associação tornou-se evidente. as autoridades recorrem à força para dispersar manifestações da oposição, denuncia aquele responsável da aI. a polícia impede a acção dos jornalistas e activistas dos direitos humanos. as televisões e muitos outros meios de imprensa são controlados pelo estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *