Na sua entrada solene de José Alves na arquidiocese metropolitana de évora, o novo pastor prometeu “dar continuidade ao projecto” do seu antecessor para o actual ano pastoral
Na sua entrada solene de José Alves na arquidiocese metropolitana de évora, o novo pastor prometeu “dar continuidade ao projecto” do seu antecessor para o actual ano pastoralO arcebispo tomou a cadeira episcopal e recebeu o báculo, numa celebração que contou com a presenta do cardeal Patriarca de Lisboa, José Policarpo, o porta-voz da Conferência Episcopal Portuguesa, Carlos azevedo, e Ximenes Belo, bispo emérito de Dili, além de outros 20 bispos portugueses.
José Alves que deixa a diocese de Portalegre-Castelo Branco, onde permaneceu durante quase quatro anos, substituiu Maurílio de Gouveia e regressa às origens. O novo arcebispo eborense pretende, a par da continuidade do projecto já em curso, pretente manter assíduos contactos de colaboração pastoral com antónio Vitalino (Baixo alentejo) e Manuel Quintas (Faro), bispos da mesma província eclesiástica.
Os grandes desafios no alentejo são os desafios do interior do país, em particular a desertificação e envelhecimento da população, observou. Por isso pretende desenvolver uma pastoral para a terceira idade.
aos jornalistas manifestou ainda a preocupação do reduzido número de sacerdotes, apesar de apontar a existência de alternativas. Para já temos diáconos permanentes e muitos mais leigos empenhados na vida da Igreja.
O arcebispo emérito de Évora, vai residir no Seminário Menor de Vila Viçosa, onde se vai dedicar ao silêncio, à oração e ao estudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *