a falta de regulamentação da Concordata leva a que alguns parócos, pertencentes a quatro dioceses do norte e centro do país, não apresentem a declaração de imposto sobre os rendimentos (IRS) de 2007
a falta de regulamentação da Concordata leva a que alguns parócos, pertencentes a quatro dioceses do norte e centro do país, não apresentem a declaração de imposto sobre os rendimentos (IRS) de 2007O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), confirmou, ao Correio da Manhã (CM) on line, a não regulamentação da Concordata, assegurando que se trata mesmo de uma reivindicação da Igreja. Nós temos feito chegar ao Governo o nosso descontentamento pelo facto de muitos pontos da Concordata não terem sido ainda regulamentados, o que tem causado problemas vários e confusões desnecessárias, afirmou Jorge Ortiga.
O também arcebispo de Braga diz que o mais sensato será continuar a apresentar a declaração, esperando que o assunto venha a merecer um estudo profundo, que defina se o IRS devia ter sido pago ou se, pelo contrário, deve ser devolvido a quem de direito.
ao que tudo indica 1800 sacerdotes que exercem as funções de pároco pagaram ao Estado, indevidamente, IRS relativo aos anos de 2005 e 2006, e muitos preparam-se para apresentar a declaração relativa a 2007.
O CM adianta que cada pároco pagou mais de 300 euros por ano. No total, o Estado encaixou um milhão e 80 mil euros, a que, segundo as regras da velha’ Concordata, não tinha direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *