Imigrantes fugiam à guerra, mas encontraram a morte afogados. alguns sofreram maus-tratos, outros enfrentaram um clima adverso
Imigrantes fugiam à guerra, mas encontraram a morte afogados. alguns sofreram maus-tratos, outros enfrentaram um clima adversoMais de 130 imigrantes somalianos morreram nas águas do golfo de Áden, durante o fim-de-semana passado. alguns sofreram maus-tratos às mãos dos próprios traficantes, que lhes cobraram as passagens, outros enfrentaram condições climatéricas adversas do golfo que liga a Somália ao Iémen, divulgou esta quinta-feira a agência das Nações Unidas para os refugiados.
Num primeiro momento, contrabandistas obrigaram 135 passageiros – muitos que fugiam da violência que mina o país – a saltar da embarcação, temendo que fossem capturados pela Guarda Costeira iemenita quando viram luzes em terra. Os que resistiram foram espancados com paus e apunhalados. Depois uma onda virou o barco, afogando 114 passageiros e dois traficantes, referiu o porta-voz do alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, William Spindler.
No dia seguinte, dez mulheres e seis crianças – que faziam parte de um grupo de 29 somalianos a bordo de uma embarcação de dois motores de tráfico de pessoas -morreram quando fortes ventos viraram o navio ao largo da costa. Tinham deixado a Somália quatro dias antes e andaram à deriva depois de terem problemas com o motor. Os 13 homens sobreviventes disseram que quatro crianças tinham morrido sob os olhos dos pais, que, impotentes pela falta de alimentos, água e a excessiva exposição solar, enquanto que os outros dois miúdos morreram afogados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *