O património religioso de alvito vai ser estudado e salvaguardado. Posteriormente será disponibilizado ao público e investigadores
O património religioso de alvito vai ser estudado e salvaguardado. Posteriormente será disponibilizado ao público e investigadoresO município alentejano de alvito e a Diocese de Beja vão estudar, salvaguardar e abrir ao público e investigadores o património religioso do concelho, através de um projecto que inclui rotas culturais, exposições, colóquios e publicações.
O concelho de alvito, apesar de não ser muito extenso, possui uma das mais importantes e fantásticas gestas patrimoniais de pendor religioso do Baixo alentejo, que merece uma atenção especial, salientou à Lusa, o director do Departamento do Património Histórico e artístico da diocese de Beja, José antónio Falcão.
Primeiro é preciso inventariar e estudar o património religioso existente. actualmente há 15 monumentos do concelho mas apenas seis são visitáveis, adiantou o responsável.
É necessário salvaguardar igrejas e ermidas rurais históricas, em particular a Igreja matriz Nossa Senhora da assunção (do século XVI) e a Igreja de Santo antónio (século XVII), ambas classificadas como imóveis de interesse público e que enfrentam problemas de conservação, refere José antónio Falcão .
Uma das primeiras iniciativas do projecto vai ser a realização de uma exposição dedicada à arte sacra do concelho, que servirá como ponto de partida para organizar um núcleo museológico interparoquial, dedicado ao património histórico-religioso de alvito, explicou.
O projecto prevê também a criação de um mecanismo de consultas, para permitir o acesso mais efectivo, de investigadores e do público, aos monumentos religiosos do concelho e respectivos acervos. Percursos e rotas culturais, exposições, colóquios, reuniões científicas, actividades pedagógicas e edição de publicações sobre os monumentos estão também planeados ao abrigo deste projecto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *