O procurador-geral da cidade do Vaticano defendeu a necessidade daquele Estado ter uma lei que proí­ba o tráfico de droga
O procurador-geral da cidade do Vaticano defendeu a necessidade daquele Estado ter uma lei que proí­ba o tráfico de droga Queremos evitar que uma lacuna na lei possa transformar a cidade do Vaticano numa zona franca para os traficantes de droga , afirmou Nicola Picardi. apesar do empenho na luta contra o tráfico, o Vaticano tem um vazio legal no que respeita a esta matéria, não existindo qualquer lei que puna este tipo de delitos.
Na abertura do ano judicial do tribunal do Vaticano, aquele responsável, citado pela agência de notícias ansa, recordou um caso recente. Um funcionário da administração da cidade foi detido na posse de 87 gramas de cocaína e condenado a quatro meses de prisão, ao abrigo de uma lei de 1929, que não contempla o tráfico de estupefaciantes.
O procurador-geral destacou ainda que a mesma lei estabelece penas máximas de prisão de seis meses, o que considerou uma sanção totalmente inadaptada à gravidade do delito e não conforme com a legislação de outros países .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *