Nos dias de violência que se seguiram às eleições no Quénia, dois mil quenianos atravessaram a fronteira para o Uganda. Segundo o ministro ugandês para o refugiados vão receber milho e feijão
Nos dias de violência que se seguiram às eleições no Quénia, dois mil quenianos atravessaram a fronteira para o Uganda. Segundo o ministro ugandês para o refugiados vão receber milho e feijãoO ministro Musa Ecweru afirmou que a comida será entregue em centros de acolhimento postos a funcionar no complexo da escola de São Judas em Koitangiro. Vamos utilizar duas escolas primárias em Busia e Malaba, conforme o evoluir da situação.
O governo ugandês teve problemas com o transporte da alimentação, devido à falta de combustível. O bloqueio das estradas impediu o abastecimento através do Quénia, vindo de Mombaça. Esperamos que a situação melhore para podermos acudir aos refugiados mais facilmente, disse o ministro.
Muitos dos deslocados contam cenas de violência e terror que os obrigaram a fugir. Uma mãe a quem mataram dois filhos e queimaram o seu negócio declarou que nunca mais lhe vai sair da memória o que viveu naqueles dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *