São cerca de 58 mil pessoas que têm ajudas para construir as suas casas, melhorar condições de vida e garantir um regresso sustentável
São cerca de 58 mil pessoas que têm ajudas para construir as suas casas, melhorar condições de vida e garantir um regresso sustentávelNos últimos cinco anos, o alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (aCNUR) deu assistência a cerca de 58 mil refugiados do Burundi no regresso ao seu pequeno país da África Central – depois de décadas de conflito étnico -, ajudando-os a construir as suas próprias casas, a melhorar as condições de vida e a garantir um regresso sustentável.
Estimando que os números de regressados subam em 2008, o aCNUR espera que venha poder aumentar os abrigos e campos programados no Burundi, um dos países mais pobres na África subsariana.
Com o repatriamento de famílias sem casas, o aCNUR apoiou a construção de uma pequena casa de três quartos, o que custou à agência cerca de 500 dólares cada (pouco mais de 341 euros). É dada prioridade a agregados familiares mais vulneráveis, especialmente os que são constituídos por mulheres e pessoas idosas ou com deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *