“No mundo moderno tornou-se difícil para muitos acreditar em Deus”, visto por vezes como “um limite à liberdade humana”, afirmou o prior de Taizé, na oração da noite, do segundo dia do encontro de Taizé
“No mundo moderno tornou-se difícil para muitos acreditar em Deus”, visto por vezes como “um limite à liberdade humana”, afirmou o prior de Taizé, na oração da noite, do segundo dia do encontro de Taizéaos 40 mil jovens presentes na cidade símbolo da Reforma protestante, Genebra, o irmão alois assinalou que muitas pessoas têm a impressão de que é preciso lutar sozinho para construir a sua vida e felicidade, adianta o Público.
Em Deus descobre-se uma nova liberdade , frisou o prior de uma comunidade de monges católicos e protestantes. apontou o exemplo de países asiáticos para referir que há ali um sentido de interioridade, um respeito pelo milagre da vida, uma atenção ao mistério, ao que está para lá de nós . Mesmo se também se verificam tensões e violências , como no Ocidente.
O irmão alois pediu aos jovens que ponham em prática mesmo o pouco que compreendam do evangelho. Há em todos uma sede de infinito e um desejo de absoluto , disse.
O encontro de Taizé – peregrinação de confiança sobre a terra decorre até 1 de Janeiro de 2008. Em 2004, realizou-se em Lisboa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *