O bispo brasileiro Tomás Balduí­no considerou hoje que o Prémio Direitos do Homem da Fundação Mariana Seixas dá visibilidade à causa dos sem-terra e dos indígenas do Brasil
O bispo brasileiro Tomás Balduí­no considerou hoje que o Prémio Direitos do Homem da Fundação Mariana Seixas dá visibilidade à causa dos sem-terra e dos indígenas do Brasil É a causa que adquire um espaço, não é tanto a figura do velho bispo , declarou à agência Lusa o prelado sobre o prémio de direitos humanos Dr. João Madeira Cardoso , recebido em conjunto com o presidente da assistência Médica Internacional (aMI).
Para o bispo emérito de Goiás a distinção é o resultado da sua ligação ao movimento dos sem-terra e da luta pelos direitos dos povos indígenas. O prémio foi recebido hoje, 21 de Dezembro, em Coimbra, em ex-aequo com Fernando Nobre.
É reconfortante ver os esforços reconhecidos na defesa dos direitos humanos.com toda a humildade, tenho feito algum esforço nesse sentido , declarou à Lusa Fernando Nobre. O médico assinalou que décadas passadas sobre a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que são direitos sagrados , continuam a ser violados, o que exige um esforço de todos na sua defesa e promoção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *