O bispo da Guarda defendeu hoje a necessidade do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) discriminar positivamente as regiões mais pobres
O bispo da Guarda defendeu hoje a necessidade do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) discriminar positivamente as regiões mais pobres É necessário assumir a coragem de promover a discriminação positiva para as regiões mais pobres de meios promotores do desenvolvimento, como a nossa, defendeu Manuel da Rocha Felício, numa mensagem divulgada.
O prelado mostrou-se preocupado com o drama da desertificação humana que afecta a região e põe em risco a sobrevivência de muitas aldeias do distrito: Estamos, de facto, perante um drama de proporções alarmantes, que põe em risco a sobrevivência de muitas das nossas aldeias e obriga as populações locais a deixar as suas terras , afirmou.
Manuel da Rocha Felício salientou, à agência Lusa que, para inverter a actual situação, pode ser feito muito se o governo tiver coragem política de discriminar positivamente as nossas regiões , e salientou que o desenvolvimento também poderá ser promovido se forem canalizados investimentos vindos do QREN para essa finalidade .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *