O alto-comissário para a Imigração e Diálogo Intercultural apelou às empresas para que os processos de recrutamento sejam mais justos
O alto-comissário para a Imigração e Diálogo Intercultural apelou às empresas para que os processos de recrutamento sejam mais justosRui Marques lamentou que os processos de recrutamento no país ainda sejam influenciados por critérios como a etnia, religião ou local de habitação , adianta a Lusa. apesar de esta discriminação ser feita inconscientemente, representa um grande problema e faz com que muitos jovens nem sequer consigam chegar as entrevistas , afirmou.
Nesse sentido, o alto-comissário apelou às empresas que garantam que os seus processos de selecção se concentrem apenas nas características relevantes para a execução da tarefa laboral , dando como exemplo o caso da Suécia, onde existe uma prática de enviar currículos anónimos, ou seja, sem fotos, nome ou local de morada .
No seminário O papel da responsabilidade social das empresas na integração dos imigrantes , o alto comissário desafiou as empresas a promover políticas de igualdade e diversidade e garantir que trabalhadores contratados de grupos minoritários tenham a mesma possibilidade de evoluir par cargos superiores nas empresas .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *