Insegurança, incerteza, relativismo. as sociedades actuais vivem na instabilidade e no medo gerido pelo terrorismo
Insegurança, incerteza, relativismo. as sociedades actuais vivem na instabilidade e no medo gerido pelo terrorismoNós europeus, não somos exemplo de Paz, afirmou adriano Moreira, durante a conferência a insegurança mundial, realizada na Batalha, no Dia mundial dos direitos humanos, no âmbito da campanha 10 milhões de estrelas – um gesto para a Paz.
Recordando os 50 milhões de mortos, fruto da Segunda Guerra Mundial e a destruição das cidades, o professor comparou com a actual situação, as ameaças constantes do terrorismo para questionar: O diálogo será suficiente, como foi durante o tempo da Guerra Fria?. E a razão, mais que a razão, a razoabilidade onde está?.
actualmente dizem que há um conflito de civilizações e de religiões, onde o poder que desafia os fortes, invoca motivos religiosos. Hoje, mais do que nunca, a rebelião é contra uma fronteira que não está definida, que é a geografia da fome. E o problema da geografia da fome é o mais grave, defendeu.
O Movimento Social Mundial contesta o domínio do norte do mundo, rico, simbolizado pelo G8 (sete países mais industrializados + Rússia). O resultado é que não temos ordem mundial.
Para mudar o panorama mundial, adriano Moreira defendeu a necessidade de uma redefinição dos valores (que foram perdidos e dos quais cada um é responsável – apontou o professor), pois, sem eles o poder da palavra não é suficiente para uma paz mundial.
a resposta passa, também, pela reflexão do religioso, pelo ecumenismo, temos de dar o exemplo, a solidariedade das Igrejas cristãs tem de ser encontrada; as diferentes religiões em busca de interesses comuns e o encontro de culturas.com esta metodologia somos capazes de chegar a soluções ou a entendimentos sólidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *