a cimeira de Lisboa encerrou com o acordo sobre o partenariado estratégico entre África e Europa. José Sócrates classificou o evento como “um facto extraordinário”
a cimeira de Lisboa encerrou com o acordo sobre o partenariado estratégico entre África e Europa. José Sócrates classificou o evento como “um facto extraordinário”O presidente em exercício da União Europeia, José Sócrates, mostrou-se confiante que a comunidade internacional saiba dar uma resposta eficaz ao problema do Darfur e aos esforços para melhorar o respeito pelos direitos humanos no Zimbabué.
O primeiro-ministro português afirmou que o presidente sudanês recebeu mensagens muito simples em relação à resolução do conflito do Darfur. O acordo assinado em 2005 continua a ser a base para a resolução do conflito no Darfur. É também muito importante que a força híbrida, entre ONU e União africana, se constitua o mais rapidamente possível.
Sobre o Zimbabué, José Sócrates afirmou que a cimeira dá a garantia de que os direitos humanos podem melhorar . E acrescentou: Sem esta cimeira não se falaria, nada aconteceria, porque, simplesmente, não se falaria em direitos humanos.
Quem não é do mesmo parecer é Robert Mugabe. O presidente do Zimbabué, de 83 anos, denunciou a Inglaterra como fazendo coro com a banda dos quatro. alemanha, Suécia, Dinamarca e Holanda exprimiram duras críticas ao regime de Harare.
Segundo o texto do seu discurso tornado público na sala de imprensa, Robert Mugabe afirma que eles pensam conhecer o Zimbabue melhor que os africanos. a acusa de falta de respeito dos direitos humanos, disse, é a arrogância que nós combatemos.
Foto: Comissário para o desenvolvimento Louis Michel, preisdente Durão Barroso, presidente da U a Oumar Konaré e o presidente moçambicano armando Guebuza, durante a assinatura de um acordo na luta contra a Sida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *