“Mulheres são violadas à frente dos pais, dos filhos e dos maridos. Muitas são rejeitadas pela família. E muitas suicidam-se”, afirmou Iklass Mohammed
“Mulheres são violadas à frente dos pais, dos filhos e dos maridos. Muitas são rejeitadas pela família. E muitas suicidam-se”, afirmou Iklass MohammedO relato é da activista dos Direitos das mulheres no encontro realizado a poucos metros do local onde decorre a cimeira União Europeia(UE)/África.
Não estamos a falar só de genocídio. Estamos a falar de violações de mulheres perante os familiares. Estamos a falar de humilhação , defendeu o advogado Salih Osman. aquele que é também o prémio Sakharov 2007 criticou a comunidade internacional: Não é aceitável dizer que estão ocupados no afeganistão e no Iraque e que por isso não podem intervir no Darfur .
Queremos apenas protecção para regressar às nossas casas , afirmou Osman, garantindo que os sobreviventes nunca vão esquecer as pessoas que lutaram por eles, que se levantaram contra o genocídio , adianta a Lusa.
O presidente da União Nacional de Estudantes do Zimbabué relatou numerosas atrocidades cometidas no Zimbabué, durante este encontro. Há situações de dezenas de pessoas que vivem no mesmo quarto com crianças doentes e que sabem que nos hospitais não há medicamentos, não há comida , afirmou Promise Mkwananzi.
O responsável defendeu a realização urgente de eleições livres e justas que ajudem a a reconstruir o Zimbabué . Um país onde não há comida, não há água, não há electricidade, não há dinheiro .
a coordenadora da associação de Médicos pelos Direitos Humanos no Zimbabué, onde trabalha diariamente com vítimas de tortura, Primorose Matambanadzo, também entende ser urgente discutir a situação no Zimbabué . com as pessoas que vivem em desespero e lutam por coisas tão elementares como ter água .
Esta responsável assinalou que ninguém se lembra das pessoas que vivem em desespero e lutam por coisas tão elementares como ter água mas tem sido dado destaque a quem vem ou não à cimeira UE/África.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *