a parceria entre o Estado e as instituições da Igreja vai manter-se na área dos cuidados continuados de saúde, garantiu a coordenadora da Rede de cuidados continuados
a parceria entre o Estado e as instituições da Igreja vai manter-se na área dos cuidados continuados de saúde, garantiu a coordenadora da Rede de cuidados continuadosHá no entanto, regras a cumprir e o Estado não vai abdicar de ser um vigilante exigente ao funcionamento destas unidades, salientou a responsável, citada pela Rádio Renascença.
Inês Guerreiro defendeu o actual modelo do Serviço Nacional de Saúde e comparou-o com o privado. Os seguros só cobrem aquilo que é fácil, não cobrem a idade, a doença crónica, não cobrem o risco. Tentem fazer um seguro com 65 anos, tentem fazer um seguro tendo um cancro, tentem ir ao privado e não estar cobertos, sublinhou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *