Chama-se “agir” e é a resposta de organizações não governamentais (ONG’s) leigas e católicas à situação humanitária no Bangladesh
Chama-se “agir” e é a resposta de organizações não governamentais (ONG’s) leigas e católicas à situação humanitária no Bangladesh a agir inclui associações, religiosas e leigas, presentes com projetos de assistência, desenvolvimento e cooperação em Bangladesh, que inclui o VIS-Voluntariado Internacional para o Desenvolvimento; aMREF, action aid; Save the Children, Terre des Hommes, WWF.
Trata-se de uma rede de organizações com forte vocação internacional, que deram provas de transparência e eficácia, que actuam com parceiros locais: por exemplo, o VIS pode contar com o Don Bosco Network, uma rede de pequenas associações de caridade espalhadas em vários países do Sul do mundo, explicou à agência Fides, o diretor-geral do VIS.
Gianluca antonell salienta que a agir quer ser um interlocutor privilegiado na questão das emergências humanitárias: para tornar a resposta mais eficaz e eficiente, evitando a fragmentação que se nota muitas vezes, nestas ocasiões. a agir encontra-se no terreno, a prestar ajuda humanitária às vítimas do ciclone do Banglasdesh. Estas ONG’s vão levar a cabo projectos de reabilitação e reconstrução, intervenções estas de médio e longo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *