” a concessão de microcrédito em Portugal está a ganhar cada vez maior importância”, afirmou o ministro das Finanças, citado pela Lusa
” a concessão de microcrédito em Portugal está a ganhar cada vez maior importância”, afirmou o ministro das Finanças, citado pela LusaPara Teixeira dos Santos, o microcrédito é uma actividade positiva e indispensável, mesmo em países ditos desenvolvidos.
O ministro defendeu que são visíveis e mundialmente reconhecidos os efeitos do microcrédito, em matéria de inserção social dos menos favorecidos, aumento da produtividade e empregabilidade das famílias com menos rendimentos e do bem estar pessoal e familiar dos que recorrem ao microcrédito.
Na abertura da conferência as instituições financeiras e o desenvolvimento do microcrédito, em Lisboa, o presidente da República afirma acreditar no potencial de mudança que o microcrédito representa para vastos sectores da sociedade portuguesa, ainda fortemente marcada por desigualdades, escassez de oportunidades e por situações de exclusão social .
Para Cavaco Silva, o legado fundamental de Mohammed Yunus (fundador do microcrédito) é que o modelo cria oportunidades, desenvolve negócios e desencadeia novas lógicas de apropriação e distribuição do rendimento.
O presidente da Fundação Gulbenkian, Rui Vilar, defendeu que as fundações podem ter um papel na reflexão sobre as causas dos problemas sociais e as soluções possíveis para esses problemas.
O microcrédito consiste na concessão de empréstimos com juros mais baixos a pessoas sem acesso aos mecanismos tradicionais de crédito, possibilitando a criação do seu próprio posto de trabalho ou de uma micro empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *