associação dos Museus da Igreja promove segundas Jornadas Nacionais do sector
associação dos Museus da Igreja promove segundas Jornadas Nacionais do sector·Qualificação dos tesouros da Igreja, recurso a fundos comunitários e nacionais, acolhimento dos visitantes e criação de condições de segurança contra furto são algumas questões na ordem do dia.
a salvaguarda e a valorização do património religioso constituem, hoje em dia, prioridades para a Europa. Portugal despertou tarde para os problemas relacionados com a defesa e a promoção da sua arte sacra, que representa uma parte considerável do universo patrimonial do país: estima-se que cerca de 80 por cento dos bens culturais portugueses têm natureza religiosa. a situação não é fácil, continuando a ocorrer problemas em diversas frentes, como os furtos, o vandalismo, o abandono decorrente da desertificação e a escassez de financiamento público para a conservação dos monumentos classificados. No entanto, em contrapartida, assiste-se a uma crescente sensibilização da sociedade civil, incluindo as próprias instituições da Igreja. Sintoma disso foi o surgimento, em 2004, da associação Portuguesa de Museus da Igreja Católica, por iniciativa de um grupo de museus, enquadrado pela Conferência Episcopal Portuguesa.
Esta entidade, destituída de fins lucrativos, tem como objectivos incrementar e coordenar a actividade dos museus eclesiásticos. Congrega museus ou instituições afins, com carácter permanente, como é o caso dos tesouros da catedrais e de outras igrejas insignes, que queiram unir esforços em ordem a melhor adquirir, preservar, estudar e tornar úteis os seus bens culturais móveis. Trabalhar em rede, optimizar os recursos existentes, fomentar o diálogo entre pares são as suas prioridades. a aPMIC realiza no próximo dia 26 de Novembro, em Santiago do Cacém, as 2. as Jornadas Nacionais dos Museus da Igreja, subordinadas à temática da credenciação e valorização das instituições museológicas.
O encontro conta com a participação da direcção do Instituto dos Museus e da Conservação e da Rede Portuguesa de Museus (Ministério da Cultura), propondo uma análise alargada da nova Lei-Quadro dos Museus e das exigências que dela decorrem, nomeadamente quanto à credenciação dos museus, patamar técnico fundamental para que uma entidade deste tipo possa candidatar-se a financiamento comunitário. a organização da Rede Portuguesa de Museus e a criação de parcerias entre o Estado, os municípios e as instituições privadas, como a Igreja, serão outras questões sobre a mesa. No que respeita à valorização, vai ser também estudado o caso específico dos museus da Galiza, que possuem legislação recente e estão a ser alvo de um grande esforço de requalificação por parte dos serviços públicos, numa linha de abertura às comunidades locais e de promoção do turismo cultural e religioso.
Estas 2. as Jornadas Nacionais, presididas por D. albino Cleto, da Comissão Episcopal da Cultura, são promovidas pela aPMIC no âmbito da Exposição No Caminho sob as Estrelas – Santiago e a Peregrinação a Compostela, uma iniciativa do Departamento do Património Histórico e artístico da Diocese de Beja, do Município de Santiago do Cacém e da Xunta de Galicia (governo autonómico galego). Patente ao público na igreja matriz de Santiago do Cacém, que foi recuperada para o efeito, esta iniciativa regista já mais de 50 000 visitantes, tendo sido considerada, pela crítica da especialidade, como um dos principais eventos culturais de 2007. O presidente da República, Prof. aníbal Cavaco Silva, escolheu-a para abrir, em 11 de Julho, os roteiros do património.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *