O acordo secreto feito entre o candidato a presidente Raila Odinga e a comunidade muçulmana do país vai contra a Constituição, dizem os bispos do Quénia em comunicado
O acordo secreto feito entre o candidato a presidente Raila Odinga e a comunidade muçulmana do país vai contra a Constituição, dizem os bispos do Quénia em comunicadoOs bispos católicos do Quénia, reunidos em Roma para a visita ad limina, escreveram ontem, 19 de Novembro, uma nota pastoral denunciando o acordo entre um candidato à presidência e a comunidade muçulmana. Neste acordo, o candidato comprometer-se-ia a conceder-lhes favores religiosos em troca dos votos da comunidade muçulmana, que representa mais de 10 por cento da população do país.
Raila Odinga admite ter assinado um entendimento com os muçulmanos. Mas afirma que tal acordo é inofensivo, recusando-se no entanto a divulgar o teor do mesmo.
Num país como o Quénia, onde a Constituição garante a laicidade do estado, é sem dúvida preocupante que um candidato à presidência aceite distorcer o texto constitucional. Deste modo põe em causa a paz social e religiosa da nação na esperança de garantir para si o mais alto cargo da governação.
as eleições virão e passarão, diz o comunicado dos bispos quenianos. Mas a unidade nacional deve ser mantida e protegida. Recorde-se que as eleições no Quénia estão marcadas para 27 de Dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *