Milhares de negros norte-americanos exigem das autoridades federais de Washington, Estados Unidos, que combatam os crimes racistas e sejam menos intransigentes face aos delinquentes negros
Milhares de negros norte-americanos exigem das autoridades federais de Washington, Estados Unidos, que combatam os crimes racistas e sejam menos intransigentes face aos delinquentes negros O governo norte-americano deve intervir e proteger os seus cidadãos , declarou o reverendo negro al Sharpton, líder da luta pelos direitos cívicos. Debaixo de um vento frio e de forma pacífica, os manifestantes desfilaram, a 16 de Novembro, pelas ruas da capital. Dirigiram-se ao Ministério da Justiça, entoando: Não há Justiça, Não há Paz .
O movimento de descontentamento surgiu do seio das famílias de jovens negros mortos por polícias e perseguidos excessivamente pela Justiça. O protesto ocorreu depois de terem aparecido, em diversos locais, cordas de forca, símbolos de segregação e linchamento racial no Sul do país.
De acordo com estatísticas da polícia federal norte-americana, em 2005 registaram-se nos Estados Unidos 4. 700 crimes ou delitos racistas. a maioria – 68 por cento – contra negros. O movimento de descontentamento formou-se na pequena cidade de Jena, no Estado de Luisiana. Desde o Outono de 2006, foi atingida por tensões raciais.
a maior parte dos brancos implicados em actos violentos e intimidações em Jena não foram perseguidos. ao invés, seis jovens estudantes negros que agrediram e feriram ligeiramente um adolescente branco foram presos e considerados culpados de tentativa de homicídio. Em Setembro último, uma manifestação de solidariedade com os jovens reuniu 20 mil pessoas na pequena cidade sulista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *