Desinteresse dos estados-membros e renitência do Governo sudanês pode fazer abortar missão conjunta de manutenção da paz
Desinteresse dos estados-membros e renitência do Governo sudanês pode fazer abortar missão conjunta de manutenção da pazO desinteresse dos estados-membros no apoio ao transporte das unidades terrestres e aéreas das forças de paz, bem como a má vontade do Governo sudanês, manifestada até agora pela não aprovação da presença desta força mista de paz das Nações Unidas e da União africana, prevista para o Darfur, pode fazer abortar a missão, denunciou esta quarta-feira um alto responsável da ONU.
O subsecretário-geral para as Operações de Manutenção da Paz, Jean-Marie Guéhenno, defendeu que se missão conjunta ONU-União africana (Ua) – operação conhecida pela sigla inglesa Unamid – não tiver capacidades as necessárias em áreas críticas, no início do próximo ano, quando devem ser substituídas as actuais forças da U a existentes no terreno, poderá não ser aconselhável destacar a força mista.
É um dilema terrível: por um lado, pode dizer-se que uma força, mesmo que não tenha todos os activos, pode fazer a diferença para, pelo menos, um número limitado de pessoas no Darfur, e isso já é bom. Mas, advertiu, por outro lado, se essa força for conhecer a humilhação nas fases iniciais da sua implantação, em seguida, será muito difícil de recuperar dessa eventual humilhação. Portanto, é uma decisão muito difícil de tomar .
Esta força mista devia ocupar posições no terreno de modo a assegurar a paz, depois das conversações que terão lugar este mês na Líbia para um acordo para esta região sudanesa dilacerada pela guerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *