Um estudo do Eurostat revela que em 2006 saíram da União Europeia 26 mil milhões de euros por ano em remessas dos imigrantes para os seus países de origem
Um estudo do Eurostat revela que em 2006 saíram da União Europeia 26 mil milhões de euros por ano em remessas dos imigrantes para os seus países de origemO Secretariado Estatístico da Comissão Europeia conseguiu, pela primeira vez, apurar os dados das transferências oficiais dos imigrantes. Os dados foram fornecidos pelos estados membros através da balança de pagamentos. O estudo não compreende as transferências informais ou clandestinas.
Os fluxos dentro dos países da União Europeia (UE) equivalem a seis mil milhões de euros, ao passo que para os países fora da UE vão 19 mil milhões. Espanha, Inglaterra, Itália, alemanha e França são os principais países fornecedores.
O estudo põe em relevo os principais corredores das transferências, que indicam a proveniência dos imigrantes. Nos primeiros lugares encontram-se a alemanha – Turquia, França – Marrocos, França – Portugal, Espanha – Marrocos, Espanha – Colômbia, alemanha – Polónia, Espanha – Equador, França – argélia e Itália – albânia.
Os principais destinos mundiais das remessas dos imigrantes dirigem-se para a Europa não-comunitária, África do Norte, África a Sul do Sara e américa Latina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *