“O compromisso com os seminários é um compromisso de oração, de afecto, de estí­mulo e de abertura a uma bem estruturada pastoral vocacional e a uma maior comunhão eclesial”
“O compromisso com os seminários é um compromisso de oração, de afecto, de estí­mulo e de abertura a uma bem estruturada pastoral vocacional e a uma maior comunhão eclesial”Se aplicarmos a parábola do semeador à vocação presbiteral, o seminário é o espaço e o tempo em que se acolhe e trabalha a sementeira, feita no campo imenso e plural da juventude sempre generosa e criativa que vemos surgir nas famílias, nas comunidades, nos movimentos apostólicos, na pastoral juvenil e universitária, no voluntariado missionário, no serviço aos pobres e em tantos gestos de verdade, de heroicidade e de doação, escreve o bispo antónio Francisco dos Santos.
O bispo de aveiro e presidente da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios defende que o compromisso dos cristãos para com os seminários não se deve limitar a um mero acto de simpatia e de afecto para com a instituição ou de generosidade para a conservação e valorização do edifício e de sustentabilidade económica da casa onde o seminário funciona.
O prelado assinala que as decisões vocacionais são cada vez mais tardias mas os sinais da vocação são mais precoces. antónio Francisco dos Santos confia nas equipas formadoras dos seminários das dioceses de Portugal assinalando que têm servidores lúcidos, competentes e generosos.
Na mensagem que dirigiu aos cristãos a propósito da Semana dos seminários (11 a 18 de Novembro), o bispo da diocese de aveiro aponta o seminário para além da missão específica de preparar os futuros presbíteros, como local também vocacionado para ser centro de comunhão, eixo de convergência, elo de diálogo com os presbíteros e com as comunidades e servidor atento da unidade da Igreja diocesana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *