” a presidência portuguesa não teve coragem Política na cimeira União Europeia(UE)-Rússia”, afirma a directora adjunta da divisão Europa e Ásia Central da Human Rights Watch, Rachel Denber
” a presidência portuguesa não teve coragem Política na cimeira União Europeia(UE)-Rússia”, afirma a directora adjunta da divisão Europa e Ásia Central da Human Rights Watch, Rachel Denber É completamente desapropriado chamar a isto resultados concretos. a presença de observadores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) é uma questão de rotina e sempre será dessa forma. Levar a Rússia a concordar observadores da OSCE [embora em número inferior aos de 2003] não é nenhuma grande vitória , garante a responsável da Human Rights Watch ao Diário de Notícias, na edição de hoje, 2 de Novembro.
Para a responsável da organização não governamental, o motivo pelo qual Putin decidiu dizer que a Rússia está disposta a monitorizar os direitos humanos na Europa é calculismo político e não uma preocupação com esses direitos . Rachel Denber lembra ainda que as anteriores críticas da chanceler alemã angela Merkel, na cimeira de Samara, em Maio, perderam-se e foi enviada uma uma mensagem terrível .
O relatório trazido a Mafra para a reunião entre Putin e Sócrates, presidente da UE em exercício apontava para a necessidade de Putin fazer reformas profundas em matéria de direitos humanos e de democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *