a meta estabelecida para 2015 está em risco. Pedia-se um decréscimo anual de 5,5 por cento na taxa de mortalidade maternal, está-se apenas em um por cento
a meta estabelecida para 2015 está em risco. Pedia-se um decréscimo anual de 5,5 por cento na taxa de mortalidade maternal, está-se apenas em um por centoO número de mulheres que morrem durante a gravidez e o parto não está a diminuir tão depressa como devia para alcançar a meta mundial estabelecida para reduzir as mortes de mães em três quartos até 2015, avisaram as agências das Nações Unidas.
Para atingir o quinto objectivo de Desenvolvimento do Milénio – um dos vários objectivos globais de luta contra a pobreza e pelo desenvolvimento, definidos por uma cimeira das Nações Unidas em 2000 – exige-se um decréscimo anual de 5,5 por cento nas taxas de mortalidade maternal entre 1990 e 2015. Mas o actual declínio anual é inferior a um por cento, de acordo com dados publicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Fundo da População das Nações Unidas e Banco Mundial.
Países com os mais altos níveis iniciais de mortalidade não fizeram praticamente quaisquer progressos ao longo dos últimos 15 anos, disseram as agências num comunicado de imprensa conjunto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *